Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma menina da mamã

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" Antoine de Saint-Exupéry

Redundâncias que doem

Ontem estava eu no elevador do meu local de trabalho quando entraram duas rapariguitas que por sinal seriam amigas, tal não era a animação parvoíce da conversa. O elevador pára num andar, saí uma das mocinhas e desenrola-se o seguinte diálogo à minha frente:

Amiga 1 - Olha agora vou subir para cima e quando descer para baixo digo-te qualquer coisa.

Amiga 2 - Ok, se eu não atender é porque sai para fora.

Eu - Ambas as duas??

Não, a parte do EU não entrou na conversa, apesar de não gostar de redundâncias do estilo e das mesmas me doerem como se me estivessem a enfiar alfinetes nos ouvidos, ainda tenho um certo amor à vida, e elas tinham ar de quem eram capazes de me partir em metades iguais (esta redundância até foi boa, têm que admitir ).

48.jpg

 

(Imagem retirada daqui)

 

Sobre mim

foto do autor

O que se falou por aqui

Header by Mula
Ilustradora Mônica Crema

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D