Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas de uma menina da mamã

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" Antoine de Saint-Exupéry

Saudade

 

Quando se está feliz existe o abraço, o carinho, e os risos partilhados.

Quando se está triste existem as lágrimas, o desabafo, a mão estendida e o ombro amigo que vai amparar o rosto.

 

Quando se está com saudade, não existe nada… não há presença, cheiro, olhar, sorrisos, voz ou proximidade da pessoa que se quer ter perto.

Saudade é vazio preenchido de vontade, é sede que não sacia, é fome que não acaba. Saudade é falta.

 

Saudade é estar só e ao mesmo tempo rodeada de uma presente ausência, de pensamentos recorrentes, de desejos intermináveis.

Saudade é dormir sentindo, sonhar revivendo e acordar enquanto a alegria continua adormecida.

 

Saudade não tem cor, mas pode ser cinzenta quando não há volta ou 'amarela' como o sol.

Saudade é contar o tempo e acreditar que ele está mais lento, é ter a sensação constante de que toda a angústia acabará, dentro de um abraço.

 

Saudade é não saber e tentar imaginar onde está quem queremos.

 

Saudade é nostalgia do que ainda não conseguimos esquecer… ou do que não queremos esquecer.

Saudade é ficar esperando o dia, a hora, o lugar e o momento de dizer 'eu senti  saudade!'.

 

Saudade é olhar de longe e pensar o que fazer para acabar com a distância.

Saudade é insana, não tem planeamento, discernimento ou autocontrolo, simplesmente troca e tira tudo do seu lugar.

Saudade é planear os próximos abraços, toques, … é a expectativa de um novo encontro.

 

Saudade é isso que você está sentindo agora, enquanto lembra de quem te desperta esse sentimento.

 

sonhar-com-saudade.jpg

 Kikas

 

 

O que se falou por aqui

O que é que achas?:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.