Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas de uma menina da mamã

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" Antoine de Saint-Exupéry

Das coisas que não são para mim

Existem várias coisas nesta vida que eu não entendo, por muito incrível que vos possa parecer, uma delas remetem-me para o estado civil que se coloca, ou não, no Facebook.

"Numa relação aberta"! Pergunto eu, sabendo mas fazendo-me de sonsinha, que treta é essa?? Já me estou a imaginar num diálogo com o meu namorado em frente ao Facebook:

EU: Bem já que estamos juntos se calhar até era fixe alterarmos o nosso status civil aqui no Facebook para que todos os meus amigos, os teus amigos e os amigos do teus amigos e os amigos dos meus amigos saibam (mega sorriso de felicidade).

ELE: Sim podemos meter que estamos numa relação aberta, o que achas? (mega sorriso parvo).

EU: O que é que é uma relação aberta? Eu dou-te as chaves da minha casa e tu entras quando quiseres? (mega sorriso de dúvida).

ELE: Não é bem isso... Sabes... É tipo.... Estamos juntos quando queremos, estás a perceber? (mega sorriso parvo).

EU: Sim claro, mas isso é uma relação (mega sorriso de felicidade).

ELE: Quer dizer mais ou menos... É do estilo eu posso estar com outras pessoas e tu também (mega sorriso parvo).

EU: Ah basicamente é qualquer coisa como podemos andar com a testa enfeitada mas não há problema porque ambos sabemos, é isso certo? (mega sorriso enraivecido).

ELE: Sim.. Quer dizer... Espera aí ainda não acabei de falar, aonde é que vais? Volta aqui, deixa-me acabar de explicar...

EU: .... dedo do meio....

Não critico nem julgo quem o faça, eu não sou ninguém para criticar ou julgar quem seja, mas na minha perspectiva, que vale tanto como a dos outros, ou se está num relação ou não se está, ou se quer estar só com uma pessoa ou não se quer, ou se gosta ou não se gosta. É oitcho ou é oitchenta, comigo o oitchenta e otcho não funciona, chamem-me cota, chamem-me quadrada, chamem-me tradicional, chamem-me ciumenta, chamem-me possessiva, aliás chamem-me o que quiserem porque eu não vou ouvir mesmo!

Mal por mal mais vale não colocar o nosso status civil numa rede social.

 

O que se falou por aqui

O que é que achas?