Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma menina da mamã

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" Antoine de Saint-Exupéry

Eu e os carrros...

Eu os carros e todas as suas variantes não nos damos muito bem, vá se lá saber porquê. Já aqui contei a história dramática da minha carta de condução, e das duas batidelas que dei em carros parados, quem leu já está ao corrente da minha falta de aptidão para a coisa.

Agora tenho de me deslocar todos os dias para o trabalho de carro, sou das primeiras a chegar porque entro às 08h00m e logo atrás de mim todos os dias, todos os dias atenção, estaciona ao meu lado um carro igualzinho ao meu, igualzinho mesmo: marca, modelo, cor e ano, só varia o mês. E todos os dias quando saio, dirijo-me ao meu carro vizinho com o intuito de o abrir (felizmente nunca fui apanhada), se aquilo não abrisse com o comando já lá tinha metido o rabiosque like a boss! Tal não é o amor subconsciente que tenho pelo vizinho que houve um dia que lhe dei um beijinho no espelho lateral... com a porta... e com força porque estava vento.... e ficou marca.... Acho que o dono do vizinho não reparou porque nesse dia chegou antes de mim, ou então sim, e qualquer dia chego ao meu carro e tenho o espelho partido ou riscado pela força do vento, tal como aconteceu ao meu vizinho... 

Eu e os carros... Se eu nem sequer reconheço o meu à primeira, hão-de querer que tenha jeito para a coisa!