Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma menina da mamã

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" Antoine de Saint-Exupéry

Sinto-me só/Hoje deu-me para isto

Hoje deu-me para isto.

Porque nem todos os dias são bons, nem todas as noites são agradáveis, nem sempre o nosso estado de espírito é o mesmo, por muito alegre, bem humorada e positiva que possa ser, há dias/noites assim...

 

Serei eu a única que numa noite de sexta-feira chuvosa não saiu?

Serei eu a única que não estou a ver o "Grande Clássico"?

 

Sinto-me só num mundo tão grande e num mundo virtual ainda maior..........

57.jpg

 Kikas

 

As dez coisas que tens como certas na vida versão séria

À dois dias atrás fiz uma lista de "coisas" que temos certas na vida mas em versão brincadeira.

Hoje decidi fazer uma outra mas desta feita com as "coisas" certas mas em versão séria!

 

As dez coisas que tens como certas na vida:

 

1 - Por muito que trabalhes bem, tens sempre alguém que critique o teu trabalho e que acha que trabalha melhor do que tu.

2 - Por muito boa pessoa que possas ser vai haver sempre alguém que te ache um/a cínico/a.

3 - Nunca vais agradar a todos.

4 - Vais ter sempre mais amigos no mundo virtual do que no mundo real.

5 - Por muitos e bons amigos que tenhas as únicas pessoas que te vão sempre apoiar é a tua familia.

6 - Nem todas as pessoas que vais conhecendo ao longo da vida se tornam teus amigos, mas sim teus conhecidos.

7 - Os teus verdadeiros amigos são aqueles que estão sempre ao teu lado, nas horas boas e más.

8 - Só vai ter saudades tuas quem realmente gosta de ti.

9 - Vai haver sempre alguém que te inveja, pelo que vestes, pelo que usas, pelo que tens, pelo que és.

10 - Para todos os fins vão haver sempre novos recomeços.

 

(11 - A Ivete Sangalo vai a todas a edições do Rock in Rio )

 

56.jpg

 Kikas

 

Uma paixão chamada livros 10/40

Livro perturbante

 

1.jpg

 

 Vendidas de Zana Muhsen

 

Este livro relata a história perturbadora de duas irmãs adolescentes filhas de pai iemenita e mãe britânica,separados, são levadas pelo pai, com a desculpa de serem umas férias,ao Iémen. Cheias de ilusões e expectativas por irem conhecer um país tão diferente do que conheceram até então, acabam por conhecer o horror e a infelicidade. Quando chegam ao Iémen descobrem que foram vendidas, e acabam casadas com dois adolescentes. A partir daí começa uma vida de tormentos, humilhações, choque para duas mulheres casadas, duas crianças casadas. Não podiam confiar em ninguém se não nelas próprias, não conheciam a cultura e estavam sempre a ser hulmilhadas. Tiveram filhos quando ainda eram crianças. Passaram de um lar onde tinham amor e carinho, para outro onde só ganhavam desprezo, e maus tratos, e principalmente não podiam falar com ninguém pois descobriram que só podiam contar com elas mesmas. A Nadia sendo mais nova começa a deixar-se envolver pelos costumes, e lentamente começa a ter um relacionamento com o marido. Mas Zana a irmã mais velha, não desistiu e após muito lutar, consegue a sua libertação, a sua saída daquele país. Mas para isso tem de deixar para trás a irmã, os sobrinhos e o próprio filho. Mas isto não será para sempre pois ela promete voltar, para recuperar a sua família, o que consegue posteriormente com a ajuda da imprensa internacional.

É sem sombra de dúvida um relato emocionante e impressionante de como existem certas religiões e países capazes de cometer as mais diversas atrocidades a mulheres, que nunca passariam nem passam pela cabeça de uma mulher ocidental.

 

http://stoneartbooks.blogs.sapo.pt/

 

Kikas

Hoje é sexta-feira e acordei de mau humor!!

Hoje é sexta-feira último dia da semana, o dia em que termina uma semana de trabalho, para alguns......

Ainda assim acordei de mau humor!

 

Não é por ser sexta-feira que temos que estar contentes que nem umas crianças numa loja de doces, nem temos que celebrar como se do nosso aniversário se tratasse....

 

Como se não fosse pouco ainda 'apanhei' uma reprimenda do meu colega de sala, que por ser mais velho do que eu (e se calhar por não ter filhos !?), se sente no direito e na obrigação inclusive, de me chamar à atenção quando digo algo que ele não gosta ou não concorda.

Eu já lhe expliquei que as únicas pessoas que têm alguma legitimidade para terem tais actos comigo, e não o fazem, são os meus pais mas ainda assim volta e meia sou repreendida como se eu fosse uma adolescente mal educada.....

 

Hoje não caro colega! É sexta-feira e estou de mau humor, por isso agradecia que não me aborrecesses nem me cansasses a beleza e inteligência com reprimendas desnecessárias, não te garanto que para a próxima, esteja de mau humor ou não, não possas ouvir algo que te deixe ainda mais desagradado com a minha pessoa.

 

"Quem diz o que quer, ouve o que não quer"

 

mau-humor.jpg

Kikas