Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma menina da mamã

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" Antoine de Saint-Exupéry

A hipocrisia mata-me....

HIPOCRISIA- Fingimento de bondade de ideias ou de opiniões apreciáveis, devoçao fingida, 

In Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

 

À pouco acedi ao meu Facebook e eis se não quando me deparo com o seguinte post de um antigo colega meu e passo a citar:

"Já há imenso tempo que não andava de transportes públicos! Fiquei com uma enorme tristeza quando olhava para os passageiros! Todos muito tristes com umas roupas tão gastas uns sapatos rasgados muitos de tênis tão fininhos de verão. ..casacos quentes ?só mesmo o meu. ..que triste. ..as pessoas estão mto mal. ..e não há justiça neste país q modifique esta tristeza. .."

Citado com abreviaturas e calinadas incluídas!

 

Obviamente que tive que responder:

"Olá desculpa discordar contigo mas eu ando de transportes públicos todos os dias e não vejo isso. Há pessoas que se vestem melhor e outras pior, situações dessas, até podem existir nos transportes públicos mas são raras, até porque se tratam de pessoas que vão para o trabalho ou para a escola/faculdade. Situações como tu viste existem muitas por Lisboa e pelo país fora, contudo precisamos de sair do nosso casulo para nos apercebermos que existem situações a este nível, obviamente que não ponho em causa que se vive mal no nosso país, mas em geral, vê-se por todo o lado, não apenas nos transportes públicos. Beijinhos."

 

O que me revolta no post, supostamente, humanitário deste meu ex-colega é que eu conheço-o, conheço o seu background, não vou lavar roupa suja ao extremo (até porque não gosto particularmente) mas alguma terá que ser 'lavada'.

Este senhor quando trabalhava comigo só usava roupa de 'griffe', como ele próprio chama a roupa de marca, usava t-shirts da Gucci, calças da Armani, sapatos da Chanel, enfim o que ele queria e 'podia' comprar. Contudo não foram raras as vezes que me pediu dinheiro emprestado nas suas t-shirts da Gucci, enquanto eu vestia uma camisolinha da Zara, da Mango, da Blanco ou da Primark.

Este senhor que se auto-denomina super humanitário não se coibe em publicar no Facebook os casacos de pele que possui, o Jaguar que a amiga 'Anokas' lhe ofereceu, o facto de viver numa casa à beira-mar (até pode ser na Fonte da Telha que ninguém sabe), a mesma história que já dura três Natais seguidos em que foi à melhor pastelaria de Lisboa comprar Bolo-Rei no valor de 50.00€, e quando saiu e se deparou com 10 sem abrigos lhes ofereceu um 'porque lhe causou imensa tristeza ver pessoas a viver daquele modo', o dia em que decidiu doar os seus 'visons' e roupa com mais de um ano a várias instituições de caridade (nunca existem nomes)...

 

É caso para se dizer: Bitch please!!

Se és assim tão sensível e humano esse tipo de coisas não se divulgam em redes sociais, practicam-se no anonimato como a maior parte das pessoas faz. Se és assim tão sensível e humano não 'esfregues' na cara dos outros o que tens ou não. Se és assim tão sensível e humano hoje no transporte público que utilizaste, que pelas caracteristicas devia ser o Elevador de Santa Justa com turistas em chinelos porque pensam que está sempre calor em Portugal, ao deparareste com tamanha pobreza e que tanto te chocou, tinhas tirado o casaquinho de griffe e davas um pobrezinho que por lá estava!

 

Hipocrisia a quanto obrigas!!! 

 

55.png

 Kikas

Uma paixão chamada livros 9/40

Livro hilariante

 

2.jpg

 

 Marley & Eu (A vida e o amor do pior cão do mundo) de John Grogan

 

A história gira à volta de Marley, um labrador, super agitado, maluco e muito mais coisas. Tudo começa quando o jornalista John e sua mulher Jenny  decidem comprar um cão para testarem suas futuras habilidades como pais. Assim que eles vêm Marley apaixonam-se por ele levam- no para casa. Mas o que eles não sabiam era que esta escolha ia mudar as suas vidas para sempre, pois Marley não era um cãozinho qualquer, ele era o mais especial deles. 

Marley era um cão como não havia outro, arrombava portas, arranhava paredes, babava-se todo em cima das visitas, roubava roupa interior feminina e abocanhava tudo a que pudesse deitar o dente. 

Marley & Eu é um livro que faz o leitor se emocionar, rir, e ter a confirmação de que o cão é o melhor amigo do homem.

 

1.jpg

Diário de um Banana de Jeff Kinney

 

Sim eu sei que é um livro de crianças mas quando o comprei para oferecer à minha afilhada, ela "obrigou-me" a ler com ela e não me arrependi.

É a história de um pré-adolescente Greg que começa por explicar que aquilo não é um diário, mas sim um livro de memórias, que ele só está a escrever para quando for rico e famoso não querer perder tempo a responder a perguntas idiotas o dia inteiro. Greg vai para a  escola preparatória e nessa escola havia um queijo que já estava muito bolorento e quem tocasse no queijo ficava com o “toque de queijo”. Na noite do dia das bruxas quando o Greg e o seu amigo Rowley foram pedir docez ou travessuras apareceram uns adolescentes numa carrinha decaixa aberta e um rapaz, que ia atrás, tinha um extintor e começou a“esguichar” para eles. E a partir daqui começam as aventuras e desventuras de Greg e do seu amigo Rowley. De rir e chorar por mais trata-se de um livro um pouco infantil, obviamente, mas não deixa de nos arrancar valentes gargalhadas.

 

Kikas

 

 

Esse é o meu mundo

"Da vida, não quero muito. Quero apenas saber que tentei tudo o que quis. Tive tudo o que pude. Amei tudo o que valia. E perdi apenas o que, no fundo, nunca foi meu."

 

Sabes quando parece que ninguém nem o mundo não te entende. Sabes quando percebes que alguma coisa está a faltar. Sabes quando as palavras te atraem. Sabes aquela liberdade que precisas. Sabes quando tudo se encaixa perfeitamente.

Sabes quando precisas de te libertar daqueles sentimentos, alegrias, angústias, tristezas e amor.. Sabes quando amas alguém mais do que a ti própria. Sabes quando sentes aquela sensação espectacular por dentro quando estás a escrever. Sabes quando precisas de alguma coisa que te mantenha vivo e são.

Então! As palavras fazem o mundo girar. Os textos libertam-me, os sorrisos atraem-me e os olhares chamam-me à atenção.

 

Esse é o meu mundo!

 

da-vida-nao-quero-muito-quero-apenas-saber-que.jpg

 Kikas