Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma menina da mamã

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" Antoine de Saint-Exupéry

Fast and furious, ou não!

Hoje ao demorar cerca de 5 minutos aproximadamente (se não mais) a estacionar o carro de marcha atrás, no parque de estacionamento da estação de comboios, fazendo inclusive com que perdesse o comboio, e foi nessa altua que me veio à memória para todo o processo que envolveu a minha carta de condução.... E não foi bonito!!!

 

Já tenho a carta de condução vai fazer este ano 12 anos, passei no exame de código com uma ou duas respostas erradas, já não me recordo bem, mas o pior estava para vir.... O(s) exame(s) de condução.... Sim meus caros/caras eu fiz mais do que um exame de condução, para ser mais exacta fiz três!!! Eu bem sei que três é a conta que Deus fez, mas a conta bancária dos meus pais não ficaram muito abençoadas depois disto.

 

Ora bem vou tentar resumir ao máximo os meus três exames, a vergonha, a hulmilhação e a dignidade que deixei perdidas na DGV da Expo....

 

Exame nº 1: Fui da minha escola de condução com uma colega da mesma escola (como é usual), uma senhora de meia idade e de origem indiana que pouco falava português, chegámos à DGV e saiu de lá o "Sr. Engº" (por acaso gostaria de saber qual a vertente de Engenharia que este supostos engenheiros seguiram e qual a instituição, dado que quando frequentava a Faculdade dava-me com imensa gente do Técnico e nenhum deles 'seguiu' esta vertente) com um sorriso incrível, NOT!! Perguntou logo quem queria fazer o exame em primeiro lugar e a minha colega ofereceu-se, para grande alívio meu.

A senhora começou a conduzir e chegámos a uma mega rotunda lá para os lados dos Olivais e o "Sr. Engº" disse-lhe "Vire na primeira à direita", qual não é o meu espanto/choque quando a senhora, para além de não ter abrandado ao entrar na rotunda, fazendo desta forma com que os carros que seguiam dentro dela abrandassem para não nos albarroarem, vira o volante para a primeira saída mas EM SENTIDO CONTRÁRIO!!! O "Sr. Engº" vociferou a plenos pulmões "Na primeira à direita do seu sentido e não em sentido contrário, ia-nos matando aos quatro!!". Andámos mais um pouco, chegámos a uma ruela aonde a minha colega não conseguiu estacionar à primeira, segunda ou terceira...

Seguiu o meu exame, o "Sr. Engº" pediu-me para fazer marcha-atrás e eu pisei a linha da estrada, só, somente e apenas... O meu instrutor ainda tentou interferir por mim alegando que eu era mais baixinha e que não conseguia ver bem pelos espelhos, frase essa que foi rispostada com um "Isso é um assunto entre si e a sua instruenda"... Não me pediu para estacionar, para entrar em rotunda nem mais porra nenhuma, só me disse "Siga para a DGV se faz favor"!

Chumbámos as duas....Ninguém me tira da cabeça que chumbei por culpa da minha colega.... A porca.....

 

Exame nº 2: Fui da minha escola de condução com um colega mitra que me contou que conduzia fazia já cinco anos sem carta de condução de Sacavém a Sintra todos os dias, e nunca tinha sido apanhado, segundo ele. Chegámos à DGV e saiu de lá o "Sr. Engº", o mesmo "Sr. Engº", o mesmo!!! Caramba que não tenho sorte nenhuma, tanto "Engº" e tinha logo que me 'calhar na rifa' o mesmo? Aparentemente sim.... Este exame não tem grande histórias porque os nervos eram tantos que fiz tudo mal, desde a não parar em Stop's, a não conseguir estacionar, foi o descalabro dos descalabros, fiz tanta coisa mal que não me lembro de metade, acho que o meu cérebro está a esconder de mim esses factos para me manter mentalmente sã.

 

Exame nº 3: Fui da minha escola de condução com uma colega, chegámos à DGV e saiu de lá o "Sr. Engº" e eu pensei 'Milagre, Eureka não é o mesmo trambolho das duas últimas vezes. A minha colega foi em primeiro, como se tinha tornado da praxe, e eu fui a seguir. Estava mais calma, fiz (quase) tudo relativamente bem até o "Sr. Engº" me mandar seguir para a DGV e ter proferido a (quase) fatídica frase antes de chegarmos a uma rotunda "Agora encoste-se à direita", o que eu fiz.... Mas pisei a porra do traço contínuo... Obviamente que fiquei desde logo com os nervos em franja, mas o pior estava para vir.... Entrei no parque da DGV em terceira!!!

Quando encostei o "Sr. Engº" dirigiu-se para a minha colega e dizendo-lhe que tinha passado, virou-se para mim e perguntou "E o que é que eu faço consigo?" Eu desatei num pranto despropositado e vergonhoso e disse-lhe "Olhe chumbe-me, já é a 3ª vez que cá venho e acho que está mais do que provado que não tenho jeito para isto", isto tudo com as lágrimas a jorrarem-me dos olhos qual criança de três anos quando não lhe compram um brinquedo num hipermercado. O "Sr. Engº" ainda me tentou consolar dizendo-me que já tinha feito exames a pessoas que tinham chumbado sete vezes "Sete vezes? Sete vezes? Para mim esta é a última, não estou mais para isto, não fui feita para conduzir", continuando a minha birra adulta, mas o "Sr. Engº" passou-me.... Com aquelas figuras dignas de uma telenovela mexicana de segunda, de depois de um dramallhão de faca e alguidar e depois de ter deixado toda a minha dignidade naquele parque de estacionamento: passei...finalmente...Para grande júbilo dos meus pais.

 

Desde aí que nunca mais fui a mesma pessoa, mas posso dizer com orgulho que em 12 anos só bati duas vezes.... Sendo que ambas foram em carros parados.....

 

Hoje em dia não me considero má condutora, mas a realidade é que pouco conduzo apesar de ter comprado um carro com mudanças automáticas que me facilitaram bastante a vida, aquela cena de ter que meter o pé na embraiagem e meter uma mudança cada vez que queremos que o carro desenvolva não é para mim, acelerar, travar e utlizar somente o pé direito isso sim já é a minha praia .

Considero-me melhor 'pendura' do que condutora, embora hoje em dia esteja mais arisca, contudo com conta, peso e medida: levar o carro para o meio de Lisboa é que não violão!!! Mas tenho esperança que um dia isso suceda, a esperança é sempre a última a morrer, o pior é se morre como a culpa: Solteita!

 

Eu sou uma verdadeira Fast and Furious mas em versão 'Cuidado com os vossos carros parados'

 

44.jpg

 Kikas

"Toda a mulher é doida"

"Toda mulher é doida. Impossível não ser. A gente nasce com um dispositivo interno que nos informa desde cedo que, sem amor, a vida não vale a pena ser vivida, e dá-lhe usar o nosso poder de sedução para encontrar "the big one", aquele que será inteligente, másculo, se importará com nossos sentimentos e não nos deixará na mão jamais. Uma tarefa que dá para ocupar uma vida, não é mesmo? Mas além disso, temos que ser independentes, bonitas, ter filhos e fingir, às vezes, que somos santas, ajuizadas, responsáveis, e que nunca, mas nunca, pensaremos em jogar tudo para o alto e embarcar num navio pirata comandado pelo Johnny Depp, ou então virar loura e cafetina, sei lá, diga aí uma fantasia secreta, sua imaginação deve ser melhor que a minha.
Eu só conheço mulher louca. Pense em qualquer uma que você conhece e me diga se ela não tem ao menos três dessas qualificações: exagerada, dramática, verborrágica, maníaca, fantasiosa, apaixonada, delirante. Pois então. Também é louca. E fascinante.
Todas as mulheres estão dispostas a abrir a janela, não importa a idade que tenham. Nossa insanidade tem nome: chama-se Vontade de Viver até a Última Gota. Só as cansadas é que se recusam a levantar da cadeira para ver quem está chamando lá fora. E santa, fica combinado, não existe. Uma mulher que só reze, que tenha desistido dos prazeres da inquietude, que não deseje mais nada? Você vai concordar comigo: só sendo louca de pedra."

 

Martha Medeiros

 

Lindo e tão verdade, quase todas as mulheres se identificam com uma, duas ou mais descrições que este texto contém, e quem não se identifica ou não se conhece na sua plenitude ou gosta de mentir a si própria 

 

frases_de_amor_a_distancia06.jpg

 Kikas