Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma menina da mamã

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" Antoine de Saint-Exupéry

Boa educação precisa-se

Sou uma pessoa de hábitos, diariamente faço (quase) sempre a mesma coisa, sento-me no mesmo lugar no comboio, sigo sempre pela 5 de Outubro fora, sempre do mesmo lado da 5 de Outubro, vou sempre tomar café ao mesmo estabelecimento, enfim "old habits die hard"... Tal como uma amiga minha disse uma vez "Tu és das pessoas que mais depressa eras morta por um Serial Killer, era só seguir-te uma semana e já sabia todos os teus passos", graças a Deus não existem muitos em Portugal, ou pelo menos que eu tenha conhecimento.

 

Hoje decidi radicalizar, oh yeh estava louca logo às oito da manhã, pela fresquinha, em jejum, e dirigi-me (relativamente) feliz e contente para o meu trabalho mas desta feita utilizando o percurso da Av. da República. Decidi radicalizar ainda mais e não cortei qualquer quarteirão em direcção à 5 de Outubro, eu quando enlouqueço agarrem-me .

 

Decidi ir tomar o pequeno-almoço a uma pastelaria de renome na dita Av. da República, cheguei ao balcão e disse "Bom dia", o senhor empregado olhou para mim de esguelha e nem bom dia, nem um sorriso, nem um "o que deseja" obtive. Aguardei, uma vez que estavam pessoas à minha frente, aguardei mais um bocado e ninguém olhou para mim, sou pequenina mas não sou invisível porra!

Chegaram duas pessoas depois de mim, essas sim tiveram direito a tudo, bons dias, sorrisos, "o que é que deseja Sr. Dr.", "É a torradinha do costume Sr. Eng.", obviamente que disse ao Sr. empregado que já lá estava à cerca de cinco minutos e que se não fosse pedir muito gostaria de ser atendida, eu tento sempre ser bem educada porque foi assim que fui educada, posso até não ser a pessoa mais simpática à face da Terra, ou de Portugal vá, mas mal educada não sou, ou pelo menos tento não ser apesar de por vezes termos que descer um pouco o nível de educação quando algumas pessoas o merecem, mas continuando, o Sr. empregado olhou para mim com um ar de quem lhe estava a pedir um rim e diz: "O Eng. Messias e o Dr. Jorge chegaram primeiro porque eu vi, mas sim diz lá o que queres?"

O que queres?? O que queres?? Mas tratam-se as pessoas por tu sem as conhecerem de lado nenhum e com uma arrogância que só lembra o José Sócrates quando foi preso?

Obviamente que foi aí que tive que lhe dar uma resposta menos educada "Carissímo, em primeiro lugar a mim você não me trata por tu porque não andámos na escola juntos, e se tivessemos andado você tinha que ter chumbado muitos anos, e em segundo lugar agora não quero NADA, quero é que vá para o c"$&#@ (óbvio que não disse isso, apesar de me apetecer), você tem tanto jeito para atender ao público como eu tenho para nadar a crowl por isso volte a atender o Dr. e o Eng. que aqui a "tu" vai tomar o pequeno-almoço à pastelaria do lado, e já agora tente ser um bocado mais bem educado, a boa educação é bonita e recomenda-se", virei costas e ainda o ouvi reclamar do que lhe tinha dito ao Dr. e ao Eng.

 

Fui á pastelaria do lado e tive direito a tudo, naquela fase de irritação para mim o pequeno-almoço era o suficiente.

 

O que questiono aqui é o profissionalismo do Sr. empregado juntamente com a sua falta de simpatia e educação. Calculo que o sonho da vida dele não seria ser empregado de um café (uma profissão tão digna como a de um bacário, advogado, mediador de seguros e por aí adiante), tal como ninguém sonha tirar cursos superiores e trabalhar num call center, numa caixa de um hipermecado, numa loja de roupa, e por aí adiante. Existem tantas pessoas que querem trabalhar e não arranjam trabalho, acho que hoje em dia toda a gente que tem trabalho tem que dar graças por o ter (alguns têm que dar graças apenas aos amigos políticos), existe muita gente que gostaria de ter um e não consegue, eu falo de trabalho em geral, não emprego, há quem diferencie trabalho de emprego, infelizmente, apesar de não estarem em posição de o fazer, ainda se observam muitos casos de pessoas no fundo de desemprego e que não aceitam qualquer trabalho porque não é "digno" o suficiente para o/s curso/s que triraram e arrastam-se até a "mama" acabar.

 

Eu sei que existe má educação em todos os setores, não só na restauração, basta ir às Finanças, a uma Conservatória ou qualquer outro sítio, do setor público ou privado, para nos cruzarmos com pessoas mal educadas, antipáticas, arrogantes mesmo. Mas quem atende ao público tem que ter o mínimo de simpatia e boa educação, tenho amigos com estabelecimentos abertos ao público e que atendem ao público que são o extremo oposto do Sr. empregado com quem me cruzei hoje, simpáticos e sobretudo bem educados.

 

Isto foi um exemplo de um mau empregado, de um empregado mal formado e mal educado, felizmente quase todos os cafés que frequento em Lisboa, e não só, já me conhecem pelo nome e no "meu café", o café da minha rotina diária, ainda nem entrei e já estão a servir aquilo que sabem que vou consumir.

 

Boa educação precisa-se, em todo o lado!!

 

18.jpg

Kikas