Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas de uma menina da mamã

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" Antoine de Saint-Exupéry

Redundâncias que doem

Ontem estava eu no elevador do meu local de trabalho quando entraram duas rapariguitas que por sinal seriam amigas, tal não era a animação parvoíce da conversa. O elevador pára num andar, saí uma das mocinhas e desenrola-se o seguinte diálogo à minha frente:

Amiga 1 - Olha agora vou subir para cima e quando descer para baixo digo-te qualquer coisa.

Amiga 2 - Ok, se eu não atender é porque sai para fora.

Eu - Ambas as duas??

Não, a parte do EU não entrou na conversa, apesar de não gostar de redundâncias do estilo e das mesmas me doerem como se me estivessem a enfiar alfinetes nos ouvidos, ainda tenho um certo amor à vida, e elas tinham ar de quem eram capazes de me partir em metades iguais (esta redundância até foi boa, têm que admitir ).

48.jpg

 

(Imagem retirada daqui)

 

O que se falou por aqui

O que é que achas?

Sobre mim

foto do autor

Header by Mula
Ilustradora Mônica Crema

Blogs de Portugal

Follow

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D